Papo sério: Diabetes

Boa noite, meus caros.
Venho hoje, por meio deste para falar sobre esta doença que cada vez mais atinge pessoas de todas idades. O motivo? Recentemente fui diagnosticado com essa doença, e sendo assim, obrigado a viver uma vida regrada e com várias restrições. Por isso resolvi comentar algumas coisas básicas sobre o assunto.

Bom, primeiramente: O que é a diabetes?
A diabetes é uma doença que se caracteriza pelo aumento de glicose no sangue. Um dos motivos deste aumento da glicose no sangue pode ser o mau funcionamento do pâncreas, órgão que produz o hormônio insulina. Neste caso, o órgão não produz, ou produz uma quantidade insuficiente de insulina, que impossibilita o açúcar ingerido de entrar na célula e gerar energia, este açúcar que não pode ser metabolizado, fica na corrente sanguínea, que é filtrada pelos rins e acaba por ser eliminada pela urina. Este tipo da doença denomina-se Diabetes Mellitus Tipo 1 (DM1). Os portadores deste tipo da doença dependem da injeção diária de insulina para manter sua glicose regulada, além de uma monitoração constante da glicemia no sangue para ministrar a posologia correta da insulina. Normalmente tem seu início antes dos 35 anos, o que não significa que não atinja outras idades.
O outro tipo da doença, a Diabetes Mellitus Tipo 2 (DM2) caracteriza-se pelo meu funcionamento dos receptores das células musculares e adiposas. Por inúmeras razões, estas células não conseguem metabolizar glicose suficiente da corrente sanguínea, o que é conhecido como 'resistência insulínica'. Neste caso, o pâncreas pode produzir insulina suficiente ou não, por conseguinte, depender da aplicação subcutânea de insulina ou não. Dependendo do caso, pacientes com DM2 podem fazer seu tratamento com remédios, exercícios físicos, controle de alimentação, ou a combinação destes métodos com o uso da insulina. Normalmente tem seu início depois dos 40 anos de idade.

Principais sintomas:

Os dois tipos de diabetes apresentam alguns sintomas diferentes, porém é necessário atentar-se a todos. Na DM1, os sintomas mais comuns são: vontade de urinar frequente, muita fome, sede constante, perda de peso, fraqueza, fadiga, irritabilidade, oscilações de humor, náuseas, vômito.
E os sintomas mais frequentes na DM2 são: infecções frequentes, alteração visual (visão embaçada), demora na cicatrização de feridas, formigamento nos pés, furunculose e é mais comum em pessoas obesas e sedentárias, mas também pode atacar as pessoas 'em forma'.

Vivendo com diabetes:

A vida do diabético é um pouco complicada. Horários para comer, horário para dormir, hora para acordar, manter uma boa alimentação, controlar a glicemia com frequência, fazer a injeção de insulina quando necessário. Mas não é somente a vida do diabético que tem que mudar, todos do seu ciclo familiar, de amigos e conhecidos tem de se adaptar. Não com mudanças radicais, mas é necessário que todos tenham o conhecimento da doença para saber como agir em algum momento de necessidade.
Um exemplo disso é quando um diabético sofre um quadro de hipoglicemia. 
A hipoglicemia ocorre quando a quantidade de glicose no sangue é muito baixa, podendo ocorrer pela injeção de insulina ou então por alguma falha na alimentação.
A hipoglicemia pode ser identificada se for observado que o diabético está tremendo, suando frio, irritado, com tonturas. Nesta caso, é necessário elevar a glicose, que é a parte fácil. Um copo de refrigerante não-dietético, um pouco de chocolate, bolacha recheada, balas com açúcar, enfim, qualquer doce deve ser dado ao diabético nesta situação. Após a situação estabilizada, é necessário fazer uma medição da glicemia no sangue.

Enfim, este foi um pequeno resumo para o conhecimento geral de todos. É importante ter algumas informações básicas sobre a diabetes para saber como lidar em certas situações, além de conhecer os sintomas para estar alerta com seus conhecidos e consigo mesmo. Quanto antes o controle da doença for iniciado, mais complicações podem ser evitadas.
E sou diabético tipo 1, insulino dependente. Preciso fazer teste de glicemia, no mínimo, três vezes ao dia, injetar insulina ao acordar, e também antes das refeições, caso minha glicose esteja muito alta. Não posso comer doces, como todos sabem, mas também não posso ingerir pratos muito calóricos. Também não posso beber, os efeitos do álcool são mais forte em diabéticos.
Também não gosto de médicos, não gosto de seringas, também não gosto de furar o dedo e fazer o teste de glicemia. Não gosto de acordar cedo, nem de me encher comendo salada ao invés de um churrasco. Não gosto, também, de ir em uma festa, e não poder beber, cuidando o relógio para ver a hora certa de comer. Odeio alimentos diet também, odeio adoçante e não sou o maior fã de frutas, também.
Mas sim, eu gosto de viver, de poder caminhar com meus amigos, tocar violão, baixo. Gosto de almoçar com a minha família, gosto de ir visitar meus parentes distantes. Gosto de ver sorrisos em rostos, de ficar sem fazer nada, de passar noites conversando.
E é justamente por estas coisas que eu gosto, que o controle da diabetes vale a pena.

Visite seu médico.

4 coment(s):

Hannah Beineke disse...

E eu gosto de ti meu amigo!!!
Agora podemos não beber juntos!

beijooooos

Rafah G. disse...

tu é sempre tão forte.. mas quando quiser reclamar,xingar e depois rir pode me chamar!

Beijo

Pâmela M. disse...

Post interessante e útil.

A cara do blog está bem diferente de quando tu começou, né? Mas eu gostei... Não consigo mais te imaginar sem verde e vermelho, inclusive no blog.

Aprendi umas receitas gostosas para diabéticos esses dias... Qualquer dia te convido para comer ;)

Beijo

Jéssica Perla disse...

Nossa, cupim, fazia tempo que eu não passava por aqui. Depois de ler, só pude ficar em silêncio, e só.
E esse silêncio, dói, de tanta compreensão.

Enfim, o que eu tenho pra te dizer, é que eu te admiro, de verdade. E que apesar de ser uma amiga sumida, tu pode contar comigo. Pra tocar violão, pra dar risadas, pra conversar, pra desabafar, pra zombar ou pra refletir na vida,pra caminhar na area verde, pra ver o dvd do pouca vogal com os amigos, e pra tantas coisas simples, que eu já vi que tu sabe dá valor. Pra essas coisas, pode contar comigo meu amigo.
Vi um trechinho do gonzaguinha, e lembrei de ti, ó.
"... Toda pessoa sempre é as marcas das lições diárias de outras tantas pessoas. E é tão bonito quando a gente entende que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá. É tão bonito quando a gente sente que nunca está sozinho por mais que pense que está..." gonzaguinha

saudades, te cuida, sinta-se bem, bem abraçado ! Jéssica Perla

Postar um comentário